Integridade: a revolução possível

Postado em por na categoria Devocional.

Era uma tarde de outono e estava sentado entre estudantes ouvindo atentamente suas histórias de vida. Compartilhavam com alegria sobre como conheceram a Jesus e as mudanças que resultaram deste encontro. Como em todo grupo, ali estavam os mais falantes, aqueles que com seu entusiasmo quase dominam a conversa mas também estavam presentes aqueles que apenas ouviam atentamente os relatos e com pequenos gestos indicavam que estavam desfrutando daquela conversa animada. Muitas vezes estes silêncios guardam verdadeiros tesouros, experiências muito profundas e lições que podem nos marcar por toda vida. Foi isso que aconteceu comigo, naquele pais distante que estava visitando, quando posteriormente, uma daquelas pessoas silenciosas se aproximou e me pediu para contar sua história. Eu estava prestes a ser sacudido por um exemplo de integridade que iria mudar algumas de minhas convicções mais profundas.

Aquela jovem médica me relatou sua história, de forma tranquila e pausada. A cada frase eu ia me surpreendendo com a fibra daquele testemunho que nasce de uma profunda relação com Jesus, da plena confiança de quem sabe que sua vida está nas mãos do mestre, mesmo quando tudo parece indicar o contrário, como expressa uma frase atribuída ao famoso pregador britânico Charles Spurgeon que diz, “mesmo quando você não pode reconhecer a forma como Deus está atuando naquele momento e nem ver por onde a Sua mão se move, você ainda pode confiar no Senhor, pois o Seu coração é bom”. Vou compartilhar o impacto deste testemunho de integridade contigo, um tesouro que estava guardado em silêncio esperando o momento oportuno de ser partilhado.

Tudo começa numa família de origem muito simples em uma área pobre de seu país. Sua origem não lhe foi impedimento para lutar por seu sonho de tornar-se médica. Com a valentia típica de pessoas determinadas e muito esforço conseguiu ingressar na faculdade de medicina. Durante o curso passou a participar dos estudos bíblicos do grupo de universitários cristãos de sua escola e ali tomou a decisão de seguir a Jesus Cristo. Esta decisão foi algo muito profundo e provocou, por um lado, uma mudança de valores e, por outro lado, a adoção de novos valores e princípios que ela foi descobrindo nos Evangelhos e na sua decisão radical de seguir a Jesus Cristo.
Tudo ia bem até o 5º ano de seu curso, onde um professor lhe apresentou a seguinte situação; sua aprovação na disciplina estava condicionada a concessão de “certos favores”. Creio que estas aspas são suficientes indicar que favores eram estes, não é mesmo? Acontece que em seu país os professores recebiam seu pagamento em função do número de alunos em classe e a reprovação aleatória era utilizada por alguns como forma de assegurar o rendimento. Ela de imediato recusou e foi por isso reprovada. Absurdo não? Mas pasmem, isto se repetiu por 3 anos consecutivos! Esta realidade inominável fez com que aquela estudante pobre abandonasse sua faculdade depois de todo o esforço para entrar e de haver cursado 8 anos. Ela decidiu não comprometer seu compromisso com Jesus Cristo e assumiu o peso desta enorme injustiça. Dois anos mais tarde ela soube que o professor havia se aposentado, retornou a Universidade e concluiu seu curso.

Ao iniciar sua vida profissional ela foi enviada para uma das regiões mais pobres de seu país para trabalhar em uma clínica do governo. Chegando ali ela descobriu, entre outras coisas, que aquele lugar era um dos principais centros abortivos da região, que os medicamentos enviados pelo Estado para serem distribuídos entre a população mais carente, eram, por seus pares médicos, vendidos a população, aumentando assim a exclusão e a miséria dos mais pobres daquela região. Inconformada escreveu uma carta de renúncia as autoridades médicas da região indicando todas as irregularidades que motivavam sua decisão de renúncia de seguir como médica naquele lugar, mesmo que isso lhe causasse problemas profissionais. No dia seguinte seu superior lhe disse o seguinte: ”não aceito tua renúncia, tua carta é agora teu novo programa de trabalho. A partir de hoje serás a nova diretora desta clínica e pode iniciar teu trabalho colocando em ordem os problemas que mencionastes”. Hoje esta clínica é o centro de referência em saúde pública de seu país. Ao ouvir este relato, decidi me ajuntar aos seus amigos que oram para que ela se torne presidente de seu país e as razões para isso são óbvias.
Neste dia aprendi que a coisa mais revolucionária neste continente latino americano não é a ideologia, seja ela de esquerda ou de direita (eu costumava achar que seria a ideologia de esquerda). Descobri que a integridade é a coisa mais revolucionária na História, pois todas as vezes que encontramos líderes íntegros, independente de sua posição ideológica, os mais pobres são beneficiados. Descobri também que, como o profeta – estadista Daniel, quando cuidamos de nossa integridade em relação a Deus, ele mesmo cuida de nossa reputação. Nos tempos em que vivemos, que bom seria se nossos líderes e ministérios fossem reconhecidos por esta característica, certamente todos ganhariam mas, seguramente, os mais pobres seriam muito mais beneficiados.

Ziel J.O. Machado

5 comentários para este post:

  1. Márcia Araújo

    Tinha ouvido pessoalmente esta história, contada por vc. Que bom que mais gente pode agora conhecê-la.

    Um abraço fraternal,
    Márcia Araújo

    Responder
  2. Helen Karla Figueiredo

    Graça e Paz!

    Amado pastor, muito me edificou a devocional. Precisamos de homens e mulheres semelhantes a Cristo. Como essa moça serva do Deus altíssimo. Pagou o preço de não negociar os valores eternos do Reino de Deus. E foi honrada por sua atitude.

    Vou compartilhar um pouco da minha experiência. Vivo em Fortaleza, Ce. E há poucos dias fui pegar um ônibus para ir a uma igreja orar. Encontrei, nesse ônibus uma moça da minha época de faculdade. Pedindo esmola, com um bebê. Quando
    terminou de pedir. Falei, conheço você. Cadê seus outros filhos? Fiz isso porque perguntar não ofende.

    Percebi que a mesma ficou chateada. E ela me informou que estavam numa comunidade católica. Questionei o que ela faz com o bolsa família. Silêncio. Perguntei ainda porque ela não faz ligação das trompas? Disse que as irmãs estão providenciando isso.

    Falei que a criança não pediu para nascer. Ela começou a cantar a música do Lulu Santos, cantada por outro grupo na abertura da novela Sangue Bom da Globo.

    Então lhe disse que em Mato Grosso do Sul, não se ver pedinte. Por que simplesmente o povo de lá, não dá esmola. Me lembrei da música do Rapa Miséria S.A. Falei sobre a miséria, mas acredito que ela não entendeu. Isso era à noite, Perguntei o seu nome e ela me disse que era Helen. Fiquei chocada. Disse-lhe que era minha xará. Dei a esmola, mas fiquei orando para a mesma não usar com drogas. Não era a primeira vez que a via nos terminais com crianças mendigando.

    Uma coisa bonita em toda essa tragédia familiar, ela me afirmou que defende seus filhos com toda força. E passei a orar pela minha xará. E lembrei ainda de Mateus quando relata as bem-aventuranças. Feliz aqueles que tem fome e sede de justiça, porque serão fartos. Jesus também falou dar o que te pede.

    O reino de Deus começa aqui na terra, grata por contar a história dessa serva do Deus altíssimo.

    Oxalá, que possamos também, sermos pequenos cristos em atitudes e ações.

    Dios te bendiga! God bless you!

    Helen Karla Figueiredo.

    Fica com Deus

    Responder
  3. Ziel Machado

    Olá Helen Karla
    Que o Senhor sempre te permita expressar seu amor e misericórdia.
    Deus te abençoe muito!
    Abraços
    Ziel Machado

    Responder
  4. Jonatas Silva

    História maravilha Ziel. É realmente maravilhoso ver a integridade ainda respirar no meio de tanta corrupção.

    Abçs.

    Responder

Deixe um comentário

  • (Seu e-mail não será publicado)

Current ye@r *