Construindo uma cultura de serviço – Pr. Rivanildo S. Guedes

Postado em por na categoria Devocional.

Construindo uma cultura de serviço

E tudo quanto fizerdes, fazei de todo o coração, como se fizésseis ao Senhor e não aos homens

Colossenses 3:23

 

O que parece é que o ser humano, naturalmente, opta por ser servido ao invés de servir ao próximo. Ao longo da história temos testemunhado homens e mulheres fazendo uso de suas prerrogativas a fim de oprimirem e subjugarem o seu semelhante. Mas, graças a Deus, existem muitas exceções frente a esta cruel realidade. Podemos atestar a atitude de solidariedade e doação de muitas pessoas ao redor do mundo.

No entanto, apesar de saber que todo ser humano, independente de sua religião, seja capaz de atos de bondade, eu desejo direcionar o meu olhar para o exemplo dos cristãos. É sabido que as ONGS[1] começaram a existir a partir de ações de bondade (serviço) de cristãos nos Estados Unidos e na Europa. O amor sempre tem sido (apesar de momentos de embates e guerras) o “cartão postal” dos Protestantes ao longo da história.

Nós evangélicos, enquanto uma “religião”, nos diferenciamos das outras expressões de fé em função de nossa postura de amor e serviço para com a humanidade por causa do amor de Deus que foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo. Organizações, tais como: Cruz Vermelha, Exército de Salvação e Visão Mundial[2] são alguns exemplos de como os cristãos têm sido vanguarda no que diz respeito ao serviço desinteressado ao próximo.

Mas, quando falamos em criar uma cultura de serviço, algo a mais deve ser colocado. Uma cultura, grosso modo, é sinônimo de práticas desenvolvidas em torno de algo. A cultura de uma família é o mesmo que falar das práticas desenvolvidas e compartilhadas por pessoas que habitam a mesma casa: a maneira de comer, vestir, falar, dormir, orar… diz respeito a cultura de uma família. Sendo assim, ao criar (em qualquer ambiente que seja) uma cultura de serviço significa dizer que estamos construindo um modo de ser que de tanto praticarmos terminará tendo vida própria.

Assim, os valores que fundamentam a vida de qualquer grupo social é fruto da cultura de tais grupos. Portanto, para criar uma cultura de serviço se faz necessário pelo menos três elementos: amor, paciência e fidelidade. Perceba que os três são partes do fruto do Espírito. O amor é a expressão do bem ao próximo. A paciência é a postura de esperar a semente do amor brotar e, a fidelidade, é o forte desejo de ser confiável em minhas relações cotidianas. A minha oração é de que Deus ajude você a contribuir para a formação de uma cultura de serviço em todas as suas esferas de relacionamento.

Rivanildo Segundo Guedes   


[1] Organizações Não Governamentais
[2] Considerada a maior ONG do mundo

Deixe um comentário

  • (Seu e-mail não será publicado)

Current ye@r *